Arquitetura

No projeto de VIK, a sustentabilidade é uma ideia principal. Entendida não só em seu aspecto mais comum, isto é, como o cuidado do meio ambiente, mas também em seu sentido mais amplo, onde o projeto todo se vê como sustentável no tempo. Isso significa que desde a escolha do campo até a arquitetura foi se trabalhando com sentido comum, um know how específico e com a história ou histórias particulares de Millahue. Também significa que há uma vontade de fazer com que este projeto seja memorável graças à sua história particular.

E como terceiro ponto, significa que foi empregada uma série de tecnologias simples para definir o menor gasto de energia possível para integrar ao meio ambiente um projeto que, visto do aspecto da escala e do negócio, supõe uma mudança radical no ambiente do vinho.

O design e os materiais escolhidos harmonizam a vinícola com o vinhedo, minimizando o uso de energia e maximizando o uso das energias que existem naturalmente em VIK. Todos os esforços estão focados em otimizar a sustentabilidade da vinícola.

Para chegar a esse resultado, lançamos um desafio para os principais arquitetos chilenos, que apresentaram projetos de modo a materializar nossa visão.

Assim, os nossos finalistas foram: Martin Hurtado, Matías Klotz, Smiljan Radic, Leo Carreño, O estúdio Iglesis-Prat e José Cruz. Finalmente a proposta do reconhecido arquiteto Smiljan Radic foi a vencedora.